quarta-feira, dezembro 12, 2007

(In)Viabilidades…














Ando meio desmotivado para as escritas na net.
Sem pachorra para comentários que tenho de apagar, sem paciência para poesias e efabulações.

Talvez seja da época. Quer se queira quer não, há sempre resíduos de afectos mal geridos ou apenas recordações que, qual fantasmas, vão esbatendo as cores festivas e o tal espírito natalício.

Depois, ter a consciência de que o mundo, tal como o conhecemos, está agonizante, não ajuda.
O país desfaz-se em questionamentos imberbes sobre a falta de natalidade, sobre o quão velho está a ficar. Sem descendências que se vejam.
O porquê é tão retórico como as estatísticas sobre o desemprego e sobre os endividamentos.

Uma coisa parece certa. Portugal atingiu a maioridade no que diz respeito à criminalidade.
Aparentemente, todos os dias, há atentados mafiosos de qualidade. Já não se fala de pequenos furtos a bombas de gasolina ou coisas do género.
Não. Agora é mesmo de metralhadora. Implacáveis, certeiros, os tiros atingem os alvos com uma frieza só antes vista no estrangeiro.

O país está a mudar. Aqui se assinam documentos e se assumem responsabilidades de singular importância.
A única coisa que parece não mudar é a incapacidade de políticos, e nossa, para encontrarmos a via para a felicidade colectiva.



(Foto:João Castela Cravo)

13 Comentários:

Blogger Jotabê disse...

ó pá, isto algum dia tinha que mudar...

para já, só as coisas más estão a mudar, para pior claro, aguardemos que as coisas boas mudem também..

achas-me exageradamente optimista?
..estás à vontade..

aquele abraço

3:11 da tarde  
Blogger carpe vitam! disse...

a incapacidade colectiva, a minha incapacidade afecta-me particularmente. a mudança é feita por cada um, e todo fazem o rumo dessa mudança. Há falta de confiança, falta de esperança, e esta época do ano em vez de ajudar, só chateia. quem é que ainda tem pachorra para o natal comercial?
a natalidade é realmente preocupante, principalmene se pensarmos na quantidade de órfãos que existem nos países do terceiro mundo. Mas é sempre mais fácil olhar para o próprio umbigo...

9:39 da manhã  
Blogger MARTA disse...

Texto muito forte e muito verdadeiro, Ant...
Um retrato bem feito da realidade....
Gostei..
Beijos e abraços
Marta

1:47 da tarde  
Blogger _aifos_ disse...

Crua realidade. Nua. Despida de quase tudo. Realidade com traços cruzados, riscados... :s

Bom fds!

3:52 da tarde  
Blogger QJ disse...

não sei se será o país que está a mudar, ou somos nós que estamos a mudar.

não há muitos anos era a excitação de receber uma prenda, hoje é a irritação de seguir os protocolos e comprar a prenda (acusando logo de inicio que não se sabe o que se irá comprar).

cada vez mais a sociedade colectiva, deixou de ser colectiva e passou a ser muito individualista, vivemos no mundo do EU isto EU aquilo, o quanto muito o TU ou numa loucura total o NÓS praticamente desapareceu.

Irrita, dá mesmo raiva ver as pessoas a comprarem desenfreadamente só porque fica bem e até parece mal não o fazer.

E os verdadeiros sentimentos vão desaparecendo... mas os que restam ainda são alguns, e se nos juntarmos seremos muito, ou como dizia Zeca Afonso algures numa letra dele: "seremos muitos, seremos alguém".

é verdade! as máfias sempre existiram, só que desta vez elas mostraram-se...

2:49 da tarde  
Blogger isabel mendes ferreira disse...

viabilizo.te . sempre . meu amigo de ontem e de um amanhã.....breve.



beijo__________te. agradecendo.

5:40 da tarde  
Blogger isabel mendes ferreira disse...

escrevi. no Piano.



:(



beijos.

12:31 da tarde  
Blogger isabel mendes ferreira disse...

porque há "Ant" assim. amigo que nem a distância separa...."marinhas" por lá.



obrigada.

beij______________________O.

3:34 da tarde  
Blogger isabel mendes ferreira disse...

...e se um dia for onda nesse teu mar que te espreita a porta....sei que me reconhecerás...



Amigo. Visível.




___________________.

9:14 da manhã  
Blogger K. disse...

Gostei de ler este texto.

4:39 da tarde  
Blogger as velas ardem ate ao fim disse...

Um texto perfeito.Verdadeiro.

bjo Ant.

8:32 da tarde  
Blogger herético disse...

compreendo muito bem o teu magoado texto. que expressa uma sábia inquietação.

por mim teimo em acreditar que "a Terra se move..."

abraços

9:29 da tarde  
Blogger isabel victor disse...

"O país desfaz-se em questionamentos imberbes sobre a falta de natalidade, sobre o quão velho está a ficar. Sem descendências que se vejam.
O porquê é tão retórico como as estatísticas sobre o desemprego e sobre os endividamentos."

...


Gostei

Acutilante
lúcido


Desafiante
Vou passando ...

12:47 da manhã  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial