terça-feira, agosto 29, 2006

Toques...

Que dimensão dás tu às palavras?
Quantas vezes esbarramos no silêncio constrangedor ou, pior ainda, no equívoco do que não se conhece.
A certeza fica, então, apenas na bagagem de quem a entende. Evidência ambígua, individual, pertença do “eu”.
E, afinal, a verdade está lá. É visível no conceito, no fio condutor de cada momento.

Sabes?
Não me dou bem com a clandestinidade.
Não acredito no abstracto, no virtual, enquanto cunho da proximidade.
Por isso, sempre que me deixo tocar, abandono-me e esqueço as regras da inteligência e do adequado.
Sabes?
Não gosto das despedidas.
Já estive em demasiadas ausências.

A estação está a chegar ao fim.
Em breve os ventos de Outono irão amarelecer e derrubar as folhas agora verdes e vivas.
Mas fica sempre a memória do sol e da lua, quentes e esplêndidos.
Esse é o encanto do agir em vez do estacionar, do falar em vez do sussurrar.

Sabes?
Vou repousar agora.
Vou zombar de mim e de ti.
E, no limite, vou esquecer que o prazer tem preço.
Mas apenas aquele que se pretende pagar.


(Foto: "Vou Com o Verão"-Céu Guitart)

10 Comentários:

Blogger Teresa Durães disse...

bom..........

ainda dizes que no meu era o raiar da revolução...aqui é o quê????

(é verdade, o teu papel foi curto mas desempenhaste muito bem, parabéns! apoteose final...)

9:38 da tarde  
Blogger Heloisa B.P disse...

"Que dimensão dás tu às palavras?
Quantas vezes esbarramos no silêncio constrangedor ou, pior ainda, no equívoco do que não se conhece.
A certeza fica, então, apenas na bagagem de quem a entende. Evidência ambígua, individual, pertença do “eu”.
E, afinal, a verdade está lá. É visível no conceito, no fio condutor de cada momento.

Sabes?
Não me dou bem com a clandestinidade.
Não acredito no abstracto, no virtual, enquanto cunho da proximidade.
Por isso, sempre que me deixo tocar, abandono-me e esqueço as regras da inteligência e do adequado.
Sabes?
Não gosto das despedidas.
Já estive em demasiadas ausências."
**********************************
**************COMUNGO DESTA "DIMENSAO" DADA AS "PALAVRAS"!!!!!
A FOTO e' uma LINHA ATE' AO INFINITO...Pretende-se luminosa_A LINHA_ e...O *INFINITO*!!!!!

Gosto de le-LO!
Heloisa.
*************

9:49 da tarde  
Blogger Caiê disse...

Apesar de tudo, eu diria que estás no controlo da situação! **

10:18 da tarde  
Blogger Mendes Ferreira disse...

vou dizer-te baixinho:


(perfeito.)


(só não te deixes "machucar").


e depois nem tudo que voa tem asas...beijo.

11:20 da tarde  
Blogger Jotabê disse...

Vejo um dia cada vez menor aproximar-se cada vez mais nesta inevitável alternância da estação que nos traz a aventura do pecado, ano após ano, sempre e sempre. Já a vimos partir, agora só para o ano que vem, para mais aventura e pecado, e que venha acompanhada por mais aventuras amigas…
[Fizeste-me lembrar a recente memória]
Abraço amigo,

2:21 da manhã  
Blogger sonia r. disse...

Passo para desejar-te um bom dia Ant.

10:40 da manhã  
Blogger MARTA disse...

Guarda as memórias do sol e da luz, com a perfeição que lhe estão associadas.
Mas continua a caminhar, tocando as coisas e as pessoas como sempre o fizeste.
Beijos e abraços
Marta

P.S.: Bonito sorriso!

11:52 da manhã  
Blogger kikas disse...

Ao ler este texto, tentei entender as "entrelinhas", porque as linhas entendias perfeitamente.
Gostei muito de todo o contexto, talvez consiga entender as metáforas.

2:38 da tarde  
Blogger lazuli disse...

sabes que te entendo muito bem. Desde há muito. Um beijo.

12:16 da manhã  
Anonymous eu_heretico disse...

deixo um abraço. percebo o "desabafo"...

4:28 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial