quarta-feira, julho 26, 2006

Guerreiros…

“War
What is it good for?
Absolutely nothing!”
(Bruce Springsteen)

A guerra tornou-se assunto insignificante, notícia de jornal, inserida nas agendas informativas dos canais televisivos, sequência retórica de espaço a ocupar enquanto se espera pelo assunto que verdadeiramente interessa, como as contratações futebolísticas para a próxima época, agora que o Mundial se finou.
A guerra, as guerras, inventadas porque a tribo queria possuir o fogo (símbolo de poder e de conhecimento), sem o empenho para o fabricar, adquiriram cambiantes bizarras e causam a pena, o dó e a revolta, pela impotência, pelo medo.
Encontrados os culpados, inventam-se gritos contra e a favor, bandeiras de tanta cor que apenas remetem para a insignificância a verdadeira dor, de tanto sofrimento impossível de quantificar.
A guerra é uma palavra que, no limiar do desejo, se encontra no abismo que impede o amor.

Em nome de Deus
Derrubaram barreiras
Que deixavam espaço
Entra a lua e o vento
Em nome de deus
Caíram as bandeiras
E as mortalhas
Para as bermas das estradas

Em nome de Deus
Eu vi morrerem os homens
Em nome de Deus, eu sei
Ainda se perdem homens.

Em nome de Deus
Separam-se as almas
Que um dia quiseram
Viver sempre juntas
Em nome de Deus
Ainda vestem fardas
Como no passado
Não passam de mortalhas.
(D'age 1992)

(Foto recebida por e-mail)

11 Comentários:

Blogger Teresa Durães disse...

o que mais me faz confusão, confesso, é tentar determinar um culpado de uma guerra que dura há mais de 2000 anos...

1:35 da manhã  
Blogger Teresa Durães disse...

Boa noite e obrigada!

1:35 da manhã  
Blogger MARTA disse...

E é em nome de Deus que se faz a guerra!
Não entendo; nunca vou entender.
Gostei do texto, Ant.
Obrigada.
Beijos e abraços
Marta

9:41 da manhã  
Blogger Vampiria disse...

Sabes porquê? Porque cada vez mais tudo é normal e usual aos nossos olghos e ouvidos. A secura e o constante estado de conflito secaram nos o coraçao, porque encolhemos os ombros e continuamos a nossa refeiçao sossegadamente... pensando ao longe que é mais um filme de guerra...é isto. beijo

11:09 da manhã  
Blogger Sea disse...

No comments.

12:23 da tarde  
Blogger kikas disse...

"Guerras" será sempre um conflito de interesses e não de pessoas.Pena os ditos instigadores delas não estarem na linha da frente.

2:33 da tarde  
Blogger Caiê disse...

Em nome do Amor, mata-se gente. O Mundo caminha aos soluços.

3:27 da tarde  
Blogger Sandra disse...

Oh António esta imagem é arrepiante!!!
O texto é interessante!

beijos

5:33 da tarde  
Blogger andre rodrigues disse...

I don't need your civil wars... it feeds the rich and it buries the poor (...) my hands are tied, for all I've seen has changed my mind, and still the wars go on and the years go by, with no love for God or human rights... and all our dreams are swept aside by bloody hands of the hipnotized who carry the cross of homicide... and History bares the scares of our civil wars.

5:58 da tarde  
Blogger geno disse...

guerra ou ignorância?
nunca irei entender...

obrigado pela visita.

1:21 da tarde  
Blogger VEM SONHAR COMIGO disse...

Em nome dos interesses matam-se inocentes!

Em nome de Deus?Isso é um véu!Diria em nome da religião,que também é um jogo de interesses e cada vez maior...

11:33 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial