terça-feira, maio 23, 2006

Tudo foi de mais...
Sempre me deste a mão para atravessar a estrada
Sempre me deste a comida à boca
E me mantiveste seguro
E me protegeste de todo o mal
E me fechaste os olhos à adversidade
E mantiveste-me confortável e quentinho

Deste-me uma gravata bonita
Para usar em festas de família
E prendeste-me a ti
E tiveste medo que fugisse
E fechaste a porta à chave
E deste-me emprego

Deste-me tudo o que era possível dar-me

Tiraste-me tudo o que eu podia ter ganho

Não me falaste de atalhos

Fizeste-me perder tempo

Mas fica a saber uma coisa que tenho que te dizer rapidamente
Apesar de tudo foi possível encontrar caminhos sozinho

E recomeçar
E escolher
E partir
E chegar
E perder
E ganhar

E perceber que o tudo
É tantas vezes


Nada...

(Foto: Water Moves III-DanielCoelho)

10 Comentários:

Blogger andre rodrigues disse...

Meu caro, sei muito bem o que senti ao ler isto... por isso imagino o que sentiste ao escrevê-lo.

Obrigado por mais este teu momento inspirado :)


Um abraço amigo... do Porto a Lisboa ;)

12:31 da tarde  
Blogger Caiê disse...

O mal é quando te dão o presente e se esquecem do abraço... pfff!

3:42 da tarde  
Blogger Teresa Durães disse...

Como em todos os teus poemas, mais uma vez fiquei... silênciosa... pelo peso das palavras.

5:31 da tarde  
Blogger Heloisa B.P disse...

"E perceber que o tudo
É tantas vezes

Nada..."
******************Sem mais comentarios!
De vez em quando, venho ler MAIS!
Saudacoes!
heloisa B.P.
**************

8:35 da tarde  
Blogger Caçadora_de_sonhos disse...

Lindo...como tudo o que escreves

8:54 da tarde  
Blogger Peter disse...

Principalmente:

"perceber que o tudo
É tantas vezes

Nada..."

P.S. - Tenho de te pôr em contacto com a Ana, a ver se conseguem pôr uma música mais "mexida" no n/blog ...

11:45 da tarde  
Anonymous Sr. X disse...

Eis como o niilismo se mantém eterno, mas também como damos importância a coisas que encerram em si toda a nossa experiência de vida e que, a uma dado momento, se nos revelam em toda a sua inutilidade!
O que mudou? Nada e tudo. Na realidade, fomos nós que mudamos, crescemos para um estádio "superior". Pelo menos por enquanto... apenas até estarmos prontos a dar o próximo salto!

9:07 da manhã  
Blogger Mendes Ferreira disse...

e tudo pode ser demais mesmo quando é só um pouco mais de nada....



bom dia Ant................MUITO!

10:43 da manhã  
Blogger greentea disse...

É ASSIM por vezes temos de cortar as amarras para depois encontrarmos TUDO, sozinhos.
E dançarmos ao som da nossa música!

1:19 da tarde  
Blogger K471 disse...

Dá uma cambalhota no tempo.
Engana o destino.

9:19 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial