quinta-feira, maio 25, 2006

Pendular...














Esta noite tive dificuldade para adormecer. A cabeça cheia de pensamentos e delírios estranhos que me levaram aos limites do racional.
Nos últimos tempos tenho pensado no que nos leva a dar poder aos outros para intervirem no nosso íntimo, alterando-nos o humor e a sensibilidade.
Neste delírio enfiei com um monitor na cabeça de um indivíduo que nos últimos anos se tem entretido a moer-me o juízo.

À partida nada de grave. Estes desvarios têm a função de não passarmos ao acto, descarregarmos virtualmente a fúria que, de outra forma, nos colocaria em situações de fragilidade.
O que é grave, isso sim, é o facto destes indivíduos com quem convivemos todos os dias nos colocarem no limbo entre o bem e o mal, o amor e o ódio.
O negativo ganha quase sempre.
Reverter este estado de espírito requer um exercício mental que devolva o sentido natural da vida: o amor.

Este conflito entre o que quero ser e o que é possível ser, em cada momento, em cada dia, desgasta e, no limite, abala a fé.
É que depois são postas em causa as entregas e as trocas afectivas que vamos fazendo. Instala-se a desconfiança nos outros, naqueles a quem nos entregamos sem limites, sem esperar mais em troca que os seus afectos.

Felizmente que aparece sempre uma voz que nos conhece e nos devolve a realidade, nos trás de volta a verdadeira essência do que somos.
E hoje passei por um indivíduo, pedinte de outras terras, por quem já tinha passado outras vezes sem ligar muito (pedintes há tantos não é?) e resolvi agir. Foi tão simples como comprar dois pêssegos (até pareciam saborosos) e dar-lhe.
O prémio foi o sorriso.

E este pode ter sido o primeiro movimento que transforme este dia o “primeiro do resto da minha vida”.

Devagar... muito calmamente...

11 Comentários:

Blogger Mendes Ferreira disse...

como quase tudo deveria ser....devagar. mt calmamente....para saborear o sorriso e o movimento.


bm dia. beijo______________te.

12:47 da tarde  
Blogger greentea disse...

AS VEZES PARECE DIFICIL ABORDAR UM SEM ABRIGO OU UM PEDINTE...
NO INVERNO FUI BUSCAR DUAS BIFANAS PARA UM E COMIDA PARA OS CAES...
TANTA COISA - DIZIA ELE, MARAVILHADO!

mARAVILHADA FIQUEI EU, FICÁSTE TU PELOS DOIS PESSEGOS.

AFINAL NÃO CUSTA NADA . E SABE TÃO BEM.
A ELE . E A NÓS.

UM BEIJO GRANDE PARA TI.
ATÉ PASSAS A DORMIR MELHOR...

1:17 da tarde  
Blogger Peter disse...

Sim, até certo ponto. Eu encarei-o como uma pessoa que é muito capaz de se sentir bem consigo próprio.
Talvez até melhor que eu.
Sabes que há pessoas, embora custe a acreditar, que escolhem "a rua" como opção?

3:39 da tarde  
Blogger LUA disse...

Na revolta das palavras... uma simples vírgula, faz a frase ter outro sentido e terminamos com um ponto de exclamação... na busca de uma entoação emocional... tal como eu te li...

Beijinho ;))

5:30 da tarde  
Blogger Jotabê disse...

Eu, perante tudo isto, sinto-me um sem abrigo de ideias.
Não acho que faça a diferença uns pessegos, bifanas ou uma nota de 5 euros, contente ficava eu se o tirasse da rua e o tornasse um com abrigo.

Fica bem

(pelo sim, pelo não da próxima vez que nos virmos se vieres a carregar um monitor, só vais ver a distãncia entre nós a aumentar)

9:00 da tarde  
Blogger K471 disse...

Um banhinho, à luz de velas, com um bom néctar ao teu lado, bem fresco e espumante.
Apaga as luzes todas... aproveita as respostas do tempo.
Beijinho lunar.

Não te esqueças de coser os bolsos.

9:18 da tarde  
Blogger Teresa Durães disse...

como compreendo...

11:36 da tarde  
Blogger andre rodrigues disse...

Então amigo, nada como um trago num copo cheio de calma e serenidade...
Respira fundo e manda os que te moem o juizo à real (aquela parte :)

Devagar e muito calmamente, verás que a paz de espírito está de volta...

Um abraço amigo ;)

2:39 da manhã  
Blogger Mendes Ferreira disse...

devo-te um sorriso eu sei....


depois mando...:)

8:58 da manhã  
Blogger Ant disse...

Cada um de vocês à vossa maneira fazem-me todo o sentido.
Isto vai... calmamente... sem euforias e sem ansiedades... beijo a todos.
Ah o monitor já está no lugar e os bolsos cosidos ;))

10:06 da manhã  
Blogger MARTA disse...

Pois é - também tenho aqui quem me moa o juizo, mas tento ignorar.As coisas mais simples, mais triviais tornam-se mais importante.
Ainda bem que gostaste da mesa e espero que nada te tenha feito mal.
Obrigada por estares lá, num dia que não deixa de ser importante para mim e para quem é importante na minha vida.
Um xi
Marta

12:21 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial