sábado, abril 29, 2006

Games Without Frontiers


O silêncio dos olhares cumpre-se no limite da cumplicidade, em presença de um outro que é o nosso espelho.
As palavras ganham sentidos incertos e titubeantes, viagem pelo planeta maior que é a partilha dos espaços em aberto.
É então que se abre a porta de um imenso mar, onde se joga a intensidade do amor e da meiguice que se aprende a descobrir em cada esquina da sedução, em cada janela da ternura.
O corpo transforma-se em pista de dança, em cama sem lençóis, em instrumento de moldar vocações e de inventar e reinventar para além dos limites.
Já não há fronteira entre o espaço desta esfera imaginária e desconhecida e a esfera do perceptível. As personagens de uma misturam-se com a ideia construída na outra e fundem-se nas mesmas delírios, nas mesmas ilusões.
E o desejo ganha a dimensão de um céu aberto à espera que os viajantes recomecem a viagem uma e outra vez.
A arena está preparada.
Que comecem os jogos.

(Foto: Quando Te Abraco Tudo Faz Sentido, Jandira Gitirana Praia)

22 Comentários:

Blogger Su disse...

gostei de ler.te..perdi-me nas palavras
jocas maradas de mar

2:19 da tarde  
Blogger Teresa Durães disse...

Apesar de saber que assim o é no início, sempre assustou-me essa mistura entre "o que és" e "o que quero que sejas".

Por mais inibriante sejam os primeiros momentos, esses jogos, esse céu, há sempre aquela palavra que escapa e nos puxa com um estrondo.

Claro que o arrepio depende de cada um. Da insegurança. Da aventura e da procura. O ideal e desejável. Equilíbrio? Desejo.

Penso, acima de tudo, que o essencial é não haver barreiras pré-ditadas. Mas, mais uma vez isso depende do arrepio de cada um.

Que comecem os jogos, pois então.

3:53 da tarde  
Blogger andre rodrigues disse...

Profundo... intenso...

Well, let the games begin :)


Um abraço e continuação de bom fim de semana

André

5:18 da tarde  
Blogger Mendes Ferreira disse...

e neste teu jogo não há lugar para cinismo.


_______________________gostei. da contenção.

beijo.

(e obrigada)

6:49 da tarde  
Blogger heloisa disse...

Diz-se,que "a curiosidade mata o rato"...ou sera' o GATO?.. nao sei muito bem! e, eu, que nao sou "curiosa" so'por ser "curiosa"...contudo nao resisti a "CURIOSIDADE" de vir "conhece-LO", ja' que umas "Luzinhas" me atrairam la' para as "bandas" do *CONVERSAS DE XAXA* (o IV)!
_tenho andado por ai' atras das "luzinhas2 e, confesso que o BRILHO de algumas, ja' me ofuscou!...
_Do que ja' LI*(fui aos Arquivos), ja' SORRI, ja' ri a gargalhada e, no SEU TODO ACHEI EXCELENTE!!!!!
E..."QUE COMECEM OS JOGOS"!...
Eu, virei assistir(sempre que possivel...)!
Saudo-O cordialmente.
Heloisa B.P.
************

9:15 da tarde  
Blogger Amor Maior disse...

A cumplicidade adivinha um beijo num sorriso, um abraço numa lágrima...Ainda assim não gosto de jogar. Prefiro o movimento simples, nem sempre eufórico, mas que contém em si a forças das transformações profundas! Beijo meu

1:37 da manhã  
Anonymous smareis disse...

Olá!
Passando pra agradecer sua linda visita no blog entre amigos e te desejar um belo domingo , com um feriado cheio de coisas maravilhosas pra vc e sua familia.
Obrigada pelo carinho, volte sempre... Seu blog é muito lindo, Esse texto é òtimo.Bjinhos no coração!
http://smareis.blog.uol.com.br
http://blogentreamigos.zip.net

4:19 da manhã  
Blogger lazuli disse...

estás cada vez melhor

6:09 da manhã  
Blogger katraponga disse...

War without tears... ;)

6:48 da tarde  
Blogger Caiê disse...

A ilusão já deve ser um delírio...

2:45 da manhã  
Blogger Mendes Ferreira disse...

olá "guerreiro"....:)
das personagens aéreas....


passo para te desejar um bom "maio".



beijo.

1:05 da tarde  
Blogger God's Sniper disse...

I really like the way you write my dear friend. Emotions are like enormous waves, as they come they go too, is a constant balance among natural forces. The games they’re always there, everyone is aloud to play, if we’ve got the courage to take the ride! And what a ride!

Hans plays with Lotte, Lotte plays with Jane
Jane plays with Willi, Willi is happy again
Suki plays with Leo, Sacha plays with Britt
Adolf builds a bonfire, Enrico plays with it
-Whistling tunes we hid in the dunes by the seaside
-Whistling tunes we're kissing baboons in the jungle
It's a knockout
If looks could kill, they probably will
In games without frontiers-war without tears
Games without frontiers-war without tears

(Peter Gabriel).

11:25 da tarde  
Blogger Luísa disse...

... e que ganhe o melhor... em ti...

Um beijo. Demorado.

12:58 da manhã  
Blogger Marco_S disse...

Há um momento de reflexão antes de cada batalha. boa sorte!
Como diría Eládio Clímaco nos Jogos Sem Fronteiras: "Força Portugal!"

2:07 da tarde  
Blogger Mendes Ferreira disse...

beijo. cruzando a fronteira. das palavras.

2:11 da tarde  
Blogger Mendes Ferreira disse...

o jogo....correu bem????:)

2:11 da tarde  
Blogger Jotabê disse...

A questão é:
Neste jogo sem "árbitro", como se vão resolver as "caneladas", os "empurrões" e os "golpes baixos", que se praticam nesta arena?

1 Abr

PS: E para não falar nos "golos falhados"...

2:32 da tarde  
Blogger LUA disse...

Depois de te ler... fiquei ansiosa por ver começar o jogo...
Sinto o ritmo cardiaco acelarado...
Força!!!

Beijinho;))

6:47 da tarde  
Blogger Mendes Ferreira disse...

bom dia.....?!

9:05 da manhã  
Anonymous Luís Neto disse...

Não vim aqui para comentar o texto, ou qualquer texto ou imagem aqui que aqui são levadas ao conhecimento que quem entra nesta area reservada.... queria sómente mandar um abraço ao autor deste canto de conversas e olhares e que poderá ser, também um ponto de encontro de ideias.... tal como tantos outros em quaisquer realidades.... eu não uso camuflagens, até porque nunca fui muito bom nisso, também não fui à tropa e prometo, sempre que me ocorrer, deixar aqui umas palavras....

Luís Neto

12:50 da tarde  
Anonymous Luís Neto disse...

Esqueci-me de referir uma coisa... o clip sonoro....fantástico.....
voltarei certamente...

Luís Neto

12:54 da tarde  
Blogger Ant disse...

Luís amigo, as camuflagens são tantas vezes subvertidas. Pois a tropa. Há quem diga que faz de nós uns homens.
Provavelmente é por isso que o tal puto não se cala. :))
God's Sniper? Hehehehee. E a Irlanda aqui tão perto. Abraços.
Ao resto do pessoal, aqui vamos continuando a jogar...

2:42 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial