terça-feira, abril 04, 2006

Busca nas Palavras















Entre o Sol e a Lua
Dão-se encontros mágicos.
Entre a Terra e o Mar
Danças e cadências,
Corpos bamboleantes,
Sensuais.

Entre a Noite e o Dia
Mistérios coloridos.
Entre o Céu e a Terra,
Os poetas lavram
Em papel
As mensagens, imagens.

Verdadeiros ou falsos
Os heróis existem
Na noite calada.
E morrem e vivem
Sem descanso
Bonecos de papel…

Os mortos e os vivos
Buscam nas palavras
Que fazem sentido,
Ao acordar
E ao adormecer,
Profecias verdadeiras.

13 Comentários:

Blogger Araj disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

3:06 da manhã  
Blogger Sol disse...

Procuramos sempre
o tudo e o nada
queremos sempre
o sentido de algo
o sim e o não
e em cada palavra da vida
uma outra surgirá
marcando o seu espaço
o seu momento...

;))Beijinho

(mt bonito)

8:47 da manhã  
Blogger winterdarkness disse...

Muito bom este teu texto! A vida é cheia de mistérios mas a incompreensão que eles geram pode por vezes levar ao desespero. Mas acho que a magia da vida e do amor também é essa; sabermos que nunca sabemos nada completamente e há sempre coisas novas para descobrir. Kiss

10:38 da manhã  
Blogger Luísa disse...

Que lindo... : )

Bom dia.

2:14 da tarde  
Blogger Caiê disse...

Continuo sem perceber que bichinho te mordeu? A Primavera? ;) Beijinhos.

5:10 da tarde  
Blogger Mendes Ferreira disse...

tb. para ti, montes....vou ficar longe....uns dias....depois volto....:)


_______________________________fica bem. a escrever. assim.

7:00 da tarde  
Blogger estrela do mar disse...

Obrigada***!
És sempre bem vindos do meu blog!
Vou linkar-te, não te importas :)?
Tens fotografias muito bonitas...
Obrigada mais uma vez!
Beijinhos

10:46 da tarde  
Blogger Tere disse...

Uma bjoka no coração... dscp a ausência...

11:55 da tarde  
Blogger lazuli disse...

Cada gota de água da chuva representa emoções e sensibilidade da Lua.
Cada gota de chuva representa lágrimas de amor da Lua. Lágrimas de esperanças, de satisfação.
Agora a Lua sabe que não está só... E um dia se encontrará novamente com o Sol.
Nem que demore meio século, mas o encontrará na imensidão do tempo.

Beijos

fernanda g.

3:58 da manhã  
Blogger Jotabê disse...

Sendo que eu não sou tu
Dizendo eu de mim
Já que tu, não és eu

“Não me crucifico
Pelo que não sou culpado
Pelo que não entendo
Pelo que não domino

Antes pelo que anseio”

1 Abr

2:47 da tarde  
Blogger Jotabê disse...

...e que extraordinária forma de ficar em síntonia com a existência.
+1 Abr

2:49 da tarde  
Blogger Jotabê disse...

...e que belo poema, devidamente musicado, para fazer um Taichizito naquele local.
+1 Abr

2:52 da tarde  
Blogger winterdarkness disse...

Só para deixar um beijinho e desejar-te bom fds...

2:38 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial