segunda-feira, abril 17, 2006

48 Horas…





Na cidade onde nunca sou turista acidental e onde adormeço com sonhos de miúdo à procura do fim do arco-íris.

Reencontro nas ruas aromas e
imagens reminiscentes de uma outra cidade.




Por isso dispo-me em ti como se o mar não fosse
um imenso deserto onde afinal tudo desaba.


Então, seguro-te na mão e disparo o engenho a partir do qual saltamos a vertigem das palavras que se chamam Torre da Babel e os











olhares têm o nome de papel onde te espraias e te confundes com a loucura de uma cidade mutante.

Depois, só,
percebo o quanto é bom
sentir o sabor amargo
que a liberdade
tem em si.

15 Comentários:

Blogger Legionaria disse...

pareces querer encontrar o teu poiso certo, amigo. Um beijo grande...

10:44 da manhã  
Blogger Amor Maior disse...

Agora eu era linda outra vez
e tu existias e merecíamos
noite inteira um tão grande
amor

agora tu eras como o tempo
despido dos dias, por fim
vulnerável e nu, e eu
era por ti adentro eternamente

lentamente
como só lentamente
se deve morrer de amor


valter hugo mãe

11:47 da manhã  
Blogger Teresa Durães disse...

Nada como ir Voando por Aí, Legionária.

A liberdade tem, realmente o seu sabor amargo, por vezes uma solidão que assola, mas envia-nos o imaginário (IMHO)

2:04 da tarde  
Blogger Teresa Durães disse...

(como a tal mota, pode haver a tal curva que não se vê a 200km/h... mas antes ficou a sensação da liberdade...)

2:05 da tarde  
Blogger Mendes Ferreira disse...

ah ...pois pois....e quem escreve assim????!!!!

____________________
____________________
Ant...está tão tão tão bonito!!!!

tão sabor doce/amargo/amargo/doce ler.te.


beijos.

5:02 da tarde  
Blogger greentea disse...

a solidão
a liberdade
a responsabilidade de ser
fazem-nos crescer

nesta ou noutra qualquer cidade

um beijo para ti tb.

11:09 da tarde  
Blogger Mónica disse...

Oi,

Liberdade nunca está só
Trás consigo sempre a responsabilidade...

Aprendemos, crescemos e guardamos locais no nosso coração.

Destas recordações se faz a vida.

Bjs
:)

12:06 da tarde  
Blogger Caiê disse...

Turista acidental? :)

5:04 da tarde  
Blogger Marco_S disse...

Gostei do "sabor amargo que a liberdade tem em si"... é antagónico mas verdadeiro

12:00 da tarde  
Blogger Tere disse...

Hi... Voltei... assim que puder actualizo-me nas leituras...
Bjokas gds

2:12 da tarde  
Blogger LUA disse...

Espero que tenhas encontrado o fim do arco-íris...

Beijinho;)))

10:23 da tarde  
Blogger Teresa Durães disse...

Ant: Perdeste-te... desde dia 17... na tal liberdade :P

10:43 da tarde  
Blogger Miriam5 disse...

Gostei muito deste blog e, relativamente a este post só posso dizer que fiquei com vontade de me tornar "turista acidental" dessa tua cidade...
Um beijinho

6:40 da tarde  
Blogger MARTA disse...

Obrigada - gostei do texto, das fotografias.
Obrigada também pela visita que espero que seja a primeira de várias.
Um abraço
Marta

12:38 da tarde  
Blogger Noa disse...

Que post lindo, lindo, lindo, lindo. Fantástico mesmo! Sem palavras.

12:36 da manhã  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial