sexta-feira, março 31, 2006

A vida
em meia hora...












É possível viver a vida toda em ½ hora. Deixar acontecer o momento, esquecer o espaço e o tempo.
Cada andamento contém emoções que se multiplicam por violinos e violas, pautas e movimentos de batuta, solos que dialogam, que discutem, se amam e repousam.
É possível, nos movimentos perpétuos que duram ½ hora, revisitar cada emoção; da tristeza ao encanto, do sorriso às lágrimas, num arrepio que se prolonga muito além das meias horas que dura este tempo.
Os sonhos revivem na música, vida que se expressa em cada ½ hora.

13 Comentários:

Blogger Tere disse...

E a que se resume o tempo que por aqui passamos senão a meia hora de um qualquer relógio cósmico...
BJokas

4:06 da tarde  
Blogger Mendes Ferreira disse...

excelente colisão entre a meia hora e o resto do tempo...

todo o tempo permitido para revisitar o arrepio.


gostei. é especialmente bem "dirigido" este post. :)


beijo.

4:31 da tarde  
Blogger Teresa Durães disse...

Albert Camus dizia que bastava vivermos meia hora para termos vivências (memórias, emoções, recordações) para muitos tempo.

Dado que o tempo é algo criado pelo homem e o verdadeiro "tempo" é psicológico, basta muito pouco para uma infinidade de emoções.

A música, como facilmente nos transporta para fora da dimensão do tempo (in il temporo?) e nos activa memórias, podemos vaguear durante tanto quanta a nossa capacidade de abstração.

5:31 da tarde  
Blogger Araj disse...

"Não procuro muito, procuro apenas um momentos que dura a vida inteira"

6:46 da tarde  
Blogger Amor Maior disse...

Devo-te confessar então que ando viciada em muitas 1/2 horas e a culpa é tua... Sim, tua! :) A música que escolheste para o "audio clip" é deslumbrante! Beijo meu

8:09 da tarde  
Blogger lazuli disse...

A necessidade de viver essa meia hora, sentir, deve apenas completar o nosso próprio olhar. Atingido esse estado de complementaridade nessa meia hora, o mundo toma de assalto todas as cores e em sorvos lentos aspiramos todos os mistérios e encantos proporcionados...

12:46 da manhã  
Blogger Caiê disse...

toda a vida em meia-hora; acredito firmemente nisso.

2:42 da manhã  
Blogger Legionaria disse...

:)) meis hora, nem que seja um minuto vale sempre a pena, beijos

12:46 da tarde  
Blogger Ant disse...

amor maior, o tema chama-se Gates of Delirium e é dos Yes, uma espécie de suite de que aquela é apenas a parte final.

Eu disse meia hora? Em 5 minutos de Brahms vive-se a vida toda. E é só um exemplo.
Bjos

3:44 da tarde  
Blogger Amor Maior disse...

Sim, eu sei! Até já descobri o álbum! :) Beijo meu

3:55 da tarde  
Blogger Luna disse...

Cada minuto deve ser intenso. Escutarmos a medodia que nos entrega, e vivermos intensamente ainda que sejam acordes de um piano desafinado.

4:52 da tarde  
Blogger formiga disse...

sim senhor...
parece-me que o menino precisa de mais uma injecção de 3 horas de de musica de serrote, para perceber o que é sentir arrepios.........
bj no coração

4:31 da tarde  
Blogger Ant disse...

Formiga, estou à disposição. Não sei é se me podes oferecer mais três horas. Fico a aguardar... hehehe

12:06 da manhã  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial