sexta-feira, março 24, 2006

Empatias...











Eu me sinto tolo como um viajante
Pela tua casa, pássaro sem asa, rei da covardia
E se guardo tanto essas emoções nessa caldeira fria
É que arde o medo onde o amor ardia
...
Mas o viajante é talvez covarde

Ou talvez seja tarde pra gritar que arde no maior ardor
...
Ao te ver calada, ao te ver cansada, ao te ver no ar

Talvez esperando desse viajante
Algo que ele espera também receber
E quebrar as cercas que insistimos tanto em nos defender
...


(Viajante,Teresa Tinoco para Ney Matogrosso)


Há almas que, por um qualquer acaso, uma contingência da existência, nos tocam através do espaço, através do tempo, para além da matéria.
São pessoas, afinal e simplesmente, que desconhecemos, mas possuídas por uma intensidade luminosa que se propaga através do éter, através de redes, através do intuído.
Estas empatias são a água onde bebemos o piscar de olhos que nos alimenta viajens.
São ainda esses momentos, ocasionais, acasos quotidianos, que também nos encostam a paragens (in)certas onde se excitam e repousam os estímulos.
“De olhos bem abertos”, é a fotografia que nos prende ao instante que ambicionamos prolongar até ao fim.

E se guardo tanto essas emoções nessa caldeira fria

É que arde o medo onde o amor ardia
...
Pra ser teu talvez, pra ser teu talvez

Pra ser teu talvez, pra ser teu talvez

(idem, ibidem)

12 Comentários:

Blogger Mónica disse...

Oi,

realmente é de luz que se fazem as pessoas, é pela sua luz interior que nos apaixonamos... e que vivemos o calor da vida...

Sem seres luminosos, nós próprios não poderiamos irradiar os outros com a nossa luz.

:)

10:40 da tarde  
Blogger lazuli disse...

"Há almas que, por um qualquer acaso, uma contingência da existência, nos tocam através do espaço, através do tempo, para além da matéria".

Revejo-me nessa frase, penso o mesmo.

Beijos, Ant

1:06 da manhã  
Blogger Ant disse...

Eu sei lazuli.
Bjos

9:45 da manhã  
Blogger Araj disse...

“Nós temos olhos que se abrem para dentro, esses que usamos para ver o sonhos” Mia Couto in "Estórias Abensonhadas "

1:24 da tarde  
Blogger Meia Lua disse...

Há pessoas que nos ficam para sempre... de tal maneira que não sabemos onde acabam elas e começamos nós...
beijinho

8:12 da tarde  
Blogger Luísa disse...

E eu que adoro a palavra "empatia"... : ))

Bom início de semana. Que ela comece com sol quentinho no coração...

2:19 da tarde  
Blogger Jotabê disse...

Realmente, há ideias que são o espelho de feridas que nem nós vemos, mas que são de todos nós.

8:30 da tarde  
Blogger marco disse...

és um caixeiro viajante

12:38 da manhã  
Blogger Percepção disse...

Oi amigo, tenha pensado em você, mas estava sem tempo de vir aqui. Que coisa linda essa letra de música e que texto lindo que escreveu. Realmente na esfera terrestre conhecemos pessoas que a afinidade é muito grande e nem sabemos por quê. Acredito que seja a sintonia e energias parecidas. Um grande abraço, uma ótima semana pra ti. comigo está tudo bem, graças a Deus.

2:13 da manhã  
Blogger danae disse...

É possível haver uma empatia entre os dois sexos, entre um homem e uma mulher.
É a minha opinião e não quer dizer que esteja certa. Um bom dia para ti.
Danae

4:54 da manhã  
Blogger winterdarkness disse...

Sim parece que há "almas" que foram destinadas a encontrar-se e quando se dão essas afinidades, tudo faz sentido e assim ficamos muito mais motivados para vivermos; deixaremos de existir para passarmos a marcar outros eus e deixar que nos marquem tb a nós; seja com o "bom" ou com o "mau", ao ficarmos tristes ou felizes estaremos a sentir as emoçoes que nos fazem viver e saimos deste marasmo em que parece que ninguém sente nada! Kiss

12:21 da tarde  
Blogger Noa disse...

Nossa! lindo, lindo, lindo, lindo.
Mil vezes lindo esse post.

5:10 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial