quinta-feira, fevereiro 02, 2006

Ser positivo

A amizade não se compadece com o espaço, o tempo, com qualquer tipo de restrição que queiramos invocar como desculpa para não intervirmos quando a nossa presença é útil ou mesmo necessária.

Para muitos de nós um blog é motivo de divertimento. Para outros é oportunidade de tornarmos vivas as palavras que muitas vezes não temos a coragem, ou mesmo a possibilidade, de passar para um público mais vasto que o nosso círculo de amigos.
No entanto, há muitos outros para quem o blog é uma procura, uma tábua onde se agarram, para não se perderem nesta imensa tarefa de estar vivo.

Já tenho viajado por muitos lados onde o sonho se vai conquistando. Não sei se ao engano, como comentou a Lazuli (e ela sabe o que diz) um destes dias “... a terra dos sonhos será a internet? Não, aqui não há sonhos. Não sonhes aqui. Psssssttt...acorda, estou-te a avisar.”, ou se, como eu até penso, é possível inventar sonhos, reinventar ideias.
No fundo somos todos um pouco predadores. Seja de afectos, amor, sexo, palavras, ideias. Vamos passando por esses “sítios”. Às vezes deixamos a nossa marca. Depois temos eventualmente o retorno e o círculo vai-se completando dia a dia, noite a noite, conforme os gostos e disponibilidades.

Na realidade, muitas vezes atrás de escritas fantásticas, está uma angústia desmedida, uma tristeza de que nem sempre nos apercebemos. Ou então apenas fixamos a linguística, o estilo, a mensagem óbvia de amores e desamores.
E que fazemos nós? Fazemos de conta… Deixamos o nosso comentário. Deixamos os nossos beijos, abraços, enfim o que nos ocorre e ali fica aquela personagem (porque acabamos por ser personagens, não é?), ainda mais só.
E na verdade todos somos responsáveis. Porque alimentamos a escrita (“que bonito post... o teu blog é o máximo... escreves lindamente...” etc).

Esquecemos que, por detrás do véu da personagem, está a pessoa.

Ser solidário
Ser solidário assim pr'além da vida
Por dentro da distância percorrida
Fazer de cada perda uma raiz
E improvavelmente ser feliz

De como aqui chegar não é mister
Contar a que já sabe quem souber
O estrume em que germina a ilusão
Fecundará por certo esta canção

Ser solidário, sim, por sobre a morte
Que depois dela só o tempo é forte
E a morte nunca o tempo a redime
Mas sim o amor dos homens que se exprime

De como aqui chegar não vale a pena
Já que a moral da história é tão pequena
Que nunca por vingança eu vos daria
No ventre das canções sabedoria

Ser solidário assim pr'além da vida
Por dentro da distância percorrida
Fazer de cada perda uma raiz
improvavelmente ser feliz
(José Mário Branco)

É importante que as pessoas se sintam vivas e interessantes. Sem moralismos nem paternalismos vazios e ocos de sentimento.

É assim que a vida também pode fazer sentido.

Aqui fica o meu beijo.

11 Comentários:

Blogger greentea disse...

Os blogs são muita coisa - são a dor . a perca . a angústia. a frustração. a raiva. o sexo. a alegria. a tristeza. o carinho. o amor. e tanto mais... também o desesperadamente não estarmos sós, o comunicarmos, o estarmos com os outros.
Às vezes , um blog, um post , um comentário faz a diferença naquele exacto momento, para alguém. Por isso sejamos solidários, não apenas a dizer que o teu blog é um máximo e a alimentar o nosso ego, mas indo mais fundo, lá dentro mesmo para darmos LUZ às profundezas que lá estão.
Um abraço para ti. Vou de fim de semana - libertar-me da city, das nets e dos blogs, do stress, da hipocrisia, do transito caótico.
Vou para a paz da aldeia, o calor da lareira e os olhares quentes, vivos de quem lá mora . E também deliciar-me com um caldo a saber a couves e a batatas verdadeiras.

8:18 da manhã  
Blogger Jotabê disse...

... olha meu, vê lá se escreves qualquer coisa controversa, coisas que eu não concorde ou me identifique, coisas que eu possa dizer mal ou contrariar, ou então muda o nome do Blog, tipo, "Consultório" tal e tal .com, sítio onde a "malta" vem se inspirar, actualizar curar, etc., "tem problemas? Sofre disto e daquilo? Pois vá ao Consultório tal e tal .com fale com o Sr. Dr. Ant, que ele tem a cura certa para sí"
Abraço até logo, espero.

12:46 da tarde  
Blogger Ant disse...

JB A ideia não era essa. POdes concordar ou não mas podes ser positivo, ou não?
Podes sempre acrescentar coisas novas. A sabedoria, entre nós, comuns mortais só se vai construindo com a partilha. Era essa a ideia.

1:00 da tarde  
Blogger Jotabê disse...

... não grites comigo, era uma figura de estilo elogiosa.

2:32 da tarde  
Blogger Legionaria disse...

Entendo a tua ideia, mas isso não se aplicará a todos os meiso de conhecer alguém de estabelecermos o nosso "eu" com um "tu"? predadores? Não concordo. Todos precisamos deles, mas isso nao faz de nós predadores.
beijos

2:34 da tarde  
Blogger Ant disse...

JB, querias polémica? então aqui a tens.
legionária, é claro que somos predadores. aqui na net ainda mais. é só dar uma voltinha por aí.
anda meio mundo atentar comer outro meio. no bom sentido, como dizia o outro

2:48 da tarde  
Blogger _pimpolha_ disse...

Para mim o blog é um prazer. Adoro escrever. Tenho aquela sensaçao de que ao escrever tdo flui mais facilmente. É uma paixão e para o blog passo aquilo que sinto e que me apetece. Quando não me apetece, passo só para o papel, pk é raro o dia que passe sem escrever.

bjinhus ;)

10:21 da tarde  
Blogger lazuli disse...

anda meio mundo atentar comer outro meio. no bom sentido, como dizia o outro, dizes tu..
Qual é o bom sentido?
Comemo-nos uns aos outros a todo o momento, no fundo alimentamo-nos uns dos outros, partilhamos. O ser humano é um animal gregário.
Achei este texto curioso. Muito interessante.
A procura, a eterna procura do "eu", não é?

beijos

5:18 da manhã  
Blogger Ant disse...

Maheve, recebi o teu comment mas por qualquer razão não ficou cá. Deve ter sido por causa das obras.

Um bj para ti também

4:27 da tarde  
Blogger Marco_S disse...

Segundo li há uns tempos, o conceito de Blog nasceu nos EUA quando os alguns jornalistas que não podiam publicar nos jornais os seus artigos de opinião por "corte" dos seus editores.
Lembraram-se então de publicar online essas opiniões em sites pessoais.
Portanto os próprios blogs nasceram de frustrações dos seus autores. Por isso é normal que por trás de qualquer post se encontre um turbilhão de emoções, por parte do seu autor. São partilhas pessoais às quais quem quiser pode responder e que o autor pode ir desenvolvendo laços se quiser, se lhe interessar, se se sentir tocado, se sentir que pode partilhar algo ainda mais.
Mas na minha opinião não existe uma obrigação de resposta. Os leitores assiduos vão e vêm... são fases... conforme estados de espírito específicos. Podemo-nos sentir numa fase mais gótica, ou mais flower power... ou podemo-nos sentir assim uma vida inteira também... circunstância...

1:30 da tarde  
Blogger Ant disse...

Marco_s esta foi uma informação com interesse. Eu não fazia ideia a origem destes monstrinhos

3:44 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial