quarta-feira, janeiro 25, 2006

Laços

Provavelmente seria interessante fazer uma análise dos resultados das eleições. Poderia problematizar, dizer qual o meu voto, etc. Seria uma discussão, certamente animada.
Acontece que a vocação deste cantito é outra. Por isso vamos continuar a problematizar a vida mais perto de nós. Aquilo com que lidamos diariamente e de que, muitas vezes, nem nos apercebemos. Miudezas, dizem…

É impressionante a maneira como nos vamos ligando às pessoas. Nos últimos tempos, por motivos de força maior, tenho sido levado a pensar nas motivações que nos ligam uns aos outros, como nos prendemos a pessoas estranhas, muitas vezes para o resto da vida.

Damos connosco a preocuparmo-nos com alguém que não conhecíamos e que, de repente, passa a fazer parte de nós. É então que passamos a partilhar alegrias, tristezas, problemas e até o problemas de outras pessoas que não nos são rigorosamente nada e de quem, muitas vezes, até nem gostamos muito.

Estes afectos que se vão construindo ultrapassam largamente a socialização, a inter-relação. Fazem parte de uma esfera mais íntima e, paradoxalmente mais alargada, porque mexe com a nossa estrutura, com o que nos suporta e permite que nos aventuremos por percursos que vão influenciar outras vidas. Às vezes muitas vidas, quando estamos em lugares de decisão. Quando somos, por exemplo, primeiros-ministros ou presidentes da república.

Estas miudezas são isso mesmo. Pequenos questionamentos sobre a pequenez das nossas vidas.

3 Comentários:

Blogger Maheve disse...

Por aqui, já começaram as "alianças" para esta época. Logo estaremos analisando nosso novo cenário politico.

Beijos

3:10 da manhã  
Blogger greentea disse...

será que todos pensam na esfera alargada, nos outros, nos desconhecidos de cada dia, nos que de alguma ou nenhuma forma são semelhantes a nós ou, pelo contra´rio, pensam exclusivammente em si próprios, centrados em si?
A sua primeira decisão como Presidentes da Republica ou de qualq outra instituição será a de terem de fazer opções sobre quais a(s) reforma(s) por que têm de optar ou vão optar por resolver o problema das reformas dos outros e sobretudo as dos q têm menos q o ordenado minimo nacional , já de si vergonhoso?

8:31 da manhã  
Blogger Vampiria disse...

Gostei do texto, Ant!Senti-me incluída nele, desculpa a vaidade/atrevimento.Sabes,às vezes nas caras estranhas que nao conhecemos revemo nos, por isso passamos a preocupar nos com um ente de quem so conhecemos as palavras, nada mais... beijo

11:51 da manhã  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial